A Natura do Brasil e sua gestão de responsabilidade social e sustentabilidade



Saiba mais sobre a empresa brasileira que tem mais de 40 anos e como ela contribui para o bem estar social 

A empresa Natura do Brasil, foi fundada em 1969 por Antonio Luiz Seabra, Guilherme Leal e Pedro Passos, como um laboratório e uma pequena loja de cosméticos, situada na rua Oscar Freire, em São Paulo. No início os sócios
juntamente com sete funcionários, elaboravam os produtos e atendiam os clientes, prestando consultoria de beleza aos consumidores da marca. Desde o princípio, a empresa teve como base a qualidade dos produtos e a força do
conceito de ajudar as pessoas a se conhecerem melhor e serem mais felizes. A marca Natura reconheceu o produto cosmético como importante veículo de auto-conhecimento e percepção e seu poder de transformação na vida das
pessoas. Diante do sucesso dos produtos e do forte conceito de bem estar a eles associado dentro de poucos anos empresa tinha um número considerável de pessoas interessadas em se tornarem consultoras e foi então que em 1974
a Natura optou pela venda direta, decisão que foi responsável pela franca expansão da empresa nas próximas décadas.

No Brasil, na década de 1980 quando a Natura expandia seus negócios por todo o país através da venda direta, o tema responsabilidade social ainda não era conhecido pela maioria das empresas, mas o compromisso da Natura com
a qualidade dos produtos e com o bem estar das pessoas levou a empresa a criar uma identidade e uma forma de fazer negócios que incorporava os principais atributos da responsabilidade social. A Natura se empenhou em
criar produtos de alta qualidade com o forte compromisso de promover o bem estar dos clientes e por outro lado, mostrou sua preocupação em construir as relações, baseado em princípios éticos, transparente, onde todas as partes
envolvidas pudessem ter o máximo de benefícios.

Em 1983, a empresa inovou lançando os refis de produtos que gastam 54% menos de massa, deixando de colocar no mercado milhares de toneladas de embalagens, marcando a preocupação e o compromisso da empresa com o uso racional dos recursos naturais na economia da matéria prima e minimizando o descarte de embalagens e a produção de lixo de difícil degradação. Mais uma vez, a Natura mostra uma gestão visionária, num contexto onde as questões ambientais ainda começavam a ser colocadas à discussão, a empresa já criava mecanismos capazes de gerar benefícios para todas as partes envolvidas incluído incluindo o meio ambiente. O uso dos refis representava diminuição dos custos para a empresa, apresentação de um produto com a mesma qualidade ao consumidor, enquanto promovia economia de recursos naturais e preservação ambiental.

Para ler o artigo completo, e saber mais sobre o projeto Crer Para Ver e a marca EKOS, acesse

http://www.artigonal.com/pequenas-empresas-artigos/responsabilidade-

social-e-empresarial-acoes-e-resultados-o-modelo-de-gestao-da-empresa-
natura-do-brasil-5428968.html

Fonte: Artigonal

Acessado em: 13/05/2012

Pesquisado por: Idalmir (@idalmir_jr) – Voluntário Online

Comentários:

Deixar um Respota

Você deve estar logado para enviar um comentário.